Dos dias 29 de julho a 6 de agosto de 2015,  os Missionários OMI provindos dos estados do Pará, Amazonas, Pernambuco, Bahia, Piauí, São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás reuniram-se em São Paulo para seu retiro e assembleia anual.

Os primeiros dias foram dedicados à oração. Sobre a orientação do Pe. Paulo Archiatti, vigário geral da Congregação. Os missionários adentraram na proposta de preparação para os 200 anos de fundação. Pe. Paulo convidou de maneira serena os missionários a percorrerem o itinerário espiritual dos três chamados: o primeiro, quando ainda éramos jovens, e o Senhor visitou nossas vidas e nos convidou a segui-lo e fascinados, deixamos tudo e entramos na congregação para viver a santidade na oferta de nossas vidas na evangelização dos mais pobres. O tempo passa e novamente o Senhor nos faz um segundo chamado: “como estou vivendo hoje o meu seguimento e como assumo as consequências deste caminho que é de paixão, morte e ressurreição” e, por fim, para bem viver e responder à nossa oblação a formação permanente é imprescindível. Daí o convite de entrar na Escola de Jesus para deixar ser modelado por ele. Escutar a sua palavra, guardar e viver.
O retiro foi um tempo de revigorar a nossa paixão por Cristo e a Igreja missionária entre os pobres.

 O segundo momento foi dedicado à assembleia. Tempo de avaliar e recolher os frutos. Agradecemos a Deus pelas bênçãos que ele tem realizado em nossas missões, o crescimento das vocações missionárias, o entusiasmo dos jovens e leigos associados que assumem conosco o ideal de nosso fundador Santo Eugênio de Mazenod formando uma família religiosa com um só coração e uma só alma. Celebramos com alegria o fato de todas as nossas missões estarem inseridas em contextos de pobrezas, violências, em paróquias ou areas missionárias, nas pastorais especificas e sociais ou em nossas obras apostólicas procuramos viver o nosso ideal de evangelizar e ser evangelizados pelos pobres.

 O terceiro momento foi dedicado à eleição do provincial e seu conselho, precedidos de uma belíssima oração a partir das regras que afirmam: “Jesus é fonte e modelo da autoridade na Igreja. Ao exemplo do Senhor, que lava os pés dos seus discípulos, não é para ser servidos, mas para servir, que são escolhidos os que entre nós são revestidos de uma autoridade. O seu serviço é de coordenar e de dirigir os esforços de todos na evangelização dos pobres; é também de nos encorajar a levar uma vida inspirada pela fé e partilha intensamente o nosso amor a Cristo”. De maneira serena e orante  Pe. Francisco Rubeaux  foi reeleito como provincial, os padres Lindomar Felix, Pedro Curran e Cleber Lopes como conselheiros.

Concluímos estes dias pedindo ao Espírito Santo que ilumine o novo governo para que conduzam com sabedoria a vida da Congregação. Agradecemos a todos aqueles nos enviaram mensagens e orações por ocasião do capítulo. Que Maria Imaculada, mãe e guardiã das vocações OMI, interceda pelo labor missionário de sua família religiosa.